quarta-feira, 23 de abril de 2014

Visita Ribafreixo Vinhos


Muito proximo de vila de Vidigueira, fica situada a Adega do Moinho Branco, rodeada de 70 hectares de vinha nova, onde 70% de uva branca e apenas 30% de uva tinta, o que na zona da Vidigueira faz muito sentido onde os vinhos brancos por aqui fazem fama pelo mundo fora.
Linhas modernas definem um edificio de construção recente, com um Restaurante com um vista priviligiada sobre as vinhas.
Possui um uma recepção/loja muito simpatica logo na entrada, onde todos os vinhos estão disponiveis para adquirir.
Ao todo 4 mil metros quadrados apetrechados com tecnologias e metodologias de ponta para a produção e embalagem de vinhos (barricas de carvalho, cubas de inox, linha de engarrafamento, laboratório, linha de rotulagem) tendo capacidade para produção que actualmente ascende  450 mil litros, com capacidade para ser ampliada.


Possui uma pequena cave de barricas, em que maior parte de carvalho Françês de 225 litros.
A gama de vinhos é vasta para um adega tão recente, contam com Pato Frio ( Antão-Vaz, Selecção, Grande Escolha, Cashmere, Coral e Red Edition) e Gáudio ( Verdelho , Alvarinho, Rosé e Classico)
Connections da Casta Chenin Blanc e finaliza com a gama Barrancôa em branco e tinto.
Todos os vinhos são produzidos tirando partido do que existe de mais recente em  tecnologias disponiveis no mercado,em termos enologicos,  para preservar a identidade da casta e do terroir que existe na Herdade e na zona da Vidigueira.
Vinhos produzidos sob a batuta do mais que conhecido Enologo Paulo Laureano.

Destaque para a curiosidade de produzirem 3 vinhos Róses de estilos completamente diferentes.
Em prova três vinhos brancos todos de gama diferente em comum serem todos produzidos apartir de apenas so um tipo de uva/casta ou seja são monovarietais.

Gáudio Verdelho 2012
 
Uma cor citrina com pouca profundidade.
No nariz denota-se intensidade aromática com frescura inicial e toque de frutos tropicais.
Na boca torna se complexo com acidez muito presente e toque mineral e um final que permance fresco e longo.


Connections Chenin Blanc 2012

Cor citrina mas profundidade, mais carregado na cor que o vinho anterior
No nariz  intensidade média com notas de fruta ja madura.
Na boca complexo, com volume de boca denota-se um amanteigado que fica bem equilibrado com a acidez que prefaz um final frutado .


Pato Frio Antão-Vaz 2012

De cor citrina com profundidade ja mais carregado na cor que os 2 vinhos anteirores.
No nariz intensidade elevada misto de frutas tropicais e citrinos.
Na boca acidez inicial muito boa que faz sobressair o frutado citrico e um toque mineral, que finaliza com uma frescura que é tão carateristica desta casta.

Para finalizar a visita, cortesia do anfitrião Jorge Rebocho para quem deixo um muito obrigado, um abafado de produção reduzida não engarrafado nem vendido mas para mostrar a versatilidade da casta rainha Antão-Vaz.
Cor palha carregado e com profundidade, no nariz frutos secos e sensação de caramelizado, na boca acidez muito curiosa, frutos secos a destacar um caju, muito apelativo e final longo com alguma acidez e equilibrio com o alcool , bom produto, de apostar.

Recomendo pelo espaço fisico muito bem integrado com a paisagem muito vinica, pela adega , pelos vinhos pelo Restaurante vou saber depois, mas sobretudo pelo acolhimento.
Um muito obrigado vou voltar

Jaime Salsa
Sommelier

Sem comentários:

Publicar um comentário